2009: Ficamos entre os 100 do Top Blog

domingo, 27 de dezembro de 2009

Contagem regressiva


Agora é contagem regressiva para 2010..embora muitos acreditem que Ano Novo é somente números somados e que as verdadeiras mudanças só ocorrem lentamente na história e dentro de nós..
Outros dizem que não existem datas verdadeiras para a história já que ela parece se reciclar e permanece idêntica em essência..Assim, nada muda na data em que queremos..
Não paramos para pensar como a internet desbancou a velha mídia, filha do rádio, chamada televisão, que era um monopólio e muitas vezes fabricava reflexos condicionados em massa..Nosso tempo viu surgir repórteres e imagens em tempo real, com restritas formas de manipulação, já que agora são muitas as fontes..Hoje todos podem se tornar Pop Star..
Igualmente estranho foi o fato do cinema ter sobrevivido, mesmo com tantos recursos dentro das casas. As fitas cassete não tiveram a mesma sorte que as telas ..Bem, acredito que o sonho da maioria ainda seja ser um ator ou uma atriz. Deve ser por isso que muitos encaram a vida como representação...
No entanto, vamos voltar para a contagem regressiva para 2010. Estamos ainda carregando o costume de crer que tudo será possível num ano que está próximo de nascer..
Quando se aproxima um novo ano nos sentimos meio semi-deuses e conseguimos prever, não o futuro, mas o que queremos que aconteça, afinal desejar não é pecado..
Será que ficaremos ricos?
Que compraremos uma cobertura?
Que viajaremos enfim para o velho continente?
Que estaremos vivos para comemorar o outro ano vindouro?
Bem, se não tivermos nada disso, ao menos poderemos criar um bom Avatar

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

É natal no reino de Cecília



Olá querido Diário,
Em breve iremos nos despedir porque com bebê chorando a cada 2 horas não considero possível continuar a escrever. Aliás, já está difícil vir aqui na telinha. Agora no final passei facilmente de beldade à baleia pois estou com quase 80 quilos..Sem dizer que rezo diversas orações para poder caminhar, ir ao supermercado ou ao banco. Minhas pernas incharam muito e o ar me falta com frequência..e essa é apenas uma obrigação natural. Não haverá méritos futuros pelo ocorrido..
Embora eu não me lembre com exatidão dos anos passados, esse ano foi muito complicado: dívidas, filho inesperado aos 40 e roubo de carro sem seguro. Cheguei a fazer as contas para saber quantos pardais eu havia matado na infância, porém nunca matei nenhum...
Embora coisas difíceis aconteceram também redescobri amigos e a força que só eles podem promover e isso me garantiu, não fiquei só...afinal não vale nada um monte de Euros no deserto, não é?
Sempre lamentei o período de festas porque ficava sempre sozinha, minha família era meio indiferente e nem um paquera eu tinha..
Eu lamentava amargamente a solidão até ouvir uma música interpretada pelo Cazuza que dizia "A solidão é pretensão de quem fica fazendo fita". Então cai em mim e descobri que eu poderia mudar a situação..A partir dai comecei a cultivar amigos como flores raras que precisam matematicamente de nutrientes, sol e água..
Nunca mais fiquei só ..
Ontem na véspera de Natal, fiquei com o namorado e sua família e recebi recados de quase todos meu amigos virtuais do Orkut. Não houve felicidade maior..sem dizer que todo calor excessivo que está fazendo aqui em Americana, depois de dias, se tornou suportável..
As festas são datas interessantes..embora criadas pelo comércio e até os bebês sabem disso, são também um período onde nos cansamos de andar armados e nesse momento preferimos a trégua..Mesmo as pessoas distantes se tornam próximas e todo mundo se faz igual..Não acredito que o comércio também criou esse fenômeno..
Abaixar as armas nesse período ainda é um mistério embora, cedo ou tarde, a gente desista de brigas estéreis e encontre algo mais útil para fazer..

Para todos um FELIZ NATAL!!!!

sábado, 5 de dezembro de 2009

Don't stop believing



Eu estava down...mas é preciso continuar, a vida se sucede e o mundo só irá parar no dia que não conhecemos..
Tem um conto que criei a partir do que li em Zolá e o repito sozinha aqui para mim:
Existia um corcel selvagem que um dia foi capturado por homens que trabalhavam em minas de carvão (sabe, a espécie humana, antes de inventar a roda, aprendeu a escravizar). Lá chegando, à força, conheceu a escuridão, o tédio e um corcel já velho. O cavalo ancião estava de lado e não mais trabalhava à força depois de inúmeras chicotadas. Mas, mesmo fraco e desnutrido, se alegrou ao ver aquele jovem corcel negro que, revoltado, tentava dar coices em seus raptores até que, se julgando vencido, se deitou e não havia chicote que o fizesse ficar em pé.
Então o cavalo velho começou a empurrá-lo com o focinho, como dizer-lhe "- Força, resista e trabalhe, senão irão lhe matar". E parecia que o jovem lhe respondia: "- Força para quê? De que me vale ter força aqui?". Mas, o velho insistia: "Sempre há um momento em que precisará ter forças para se salvar"
De tanto ouvir o velho, o jovem resolveu trabalhar lá, mesmo contra a vontade, e começou a comer todos os restos de comida que encontrava. Nos momentos de folga treinava as patas e conseguiu manter seus músculos fortes. Os demais cavalos ali presos também trabalhavam, mas não faziam nada, além disso, porque já haviam se conformado com a morte por raquitismo antes da velhice..
Um dia, houve uma explosão na mina e abriu uma enorme fenda. Era o suficiente para escapar dali. O jovem corcel, vendo o sol novamente, por ele se guiou e correu, correu muito. Os mineiros ainda vivos tentaram pegar os outros cavalos para correr atrás do corcel. Porém, em vão, nenhum estava em forma o suficiente para correr e sair da mina. Outros cavalos ainda tentaram correr para fugir também, mas só puderam se contentar em ver o sol de dentro da mina, também não tinham força ou treino suficiente para correr dali..Então só o jovem corcel escapou e voltou para sua mata...
Assim, ficam alguns conselhos pertinentes:
- Não importa o momento de dor ou frustração, mantenha qualquer resquício de esperança, quando ela se acaba a depressão costuma matar e nisso não há nada de original..
- Escute as vezes os mais velhos, a esperança ainda vive neles e o melhor: eles foram treinados por ela. Passaram por túneis que nem imaginamos que existem.
- Nada, absolutamente nada, é eterno nem a dor.
- Um dia sempre uma porta se abrirá e ela representará a liberdade e a reconquista de nosso mundo. No entanto, para poder correr é preciso que nossos músculos tenham se mantido fortes , que ainda possam correr e dar coices...
- E por último, nunca acredite na rotina, ela é enganosa.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Pagar

- Eu vejo gente que não rouba
- Com que frequência?
- A todo momento

A vida é meio radical e só existem dois caminhos: O bem e o mal, o resto é balela.
O caminho do Bem é sempre difícil, pois somos tentados, todas as horas, a dar um passeiozinho pelas bandas de seu concorrente. E mais complexo ainda é saber que existem pouquíssimos prêmios na terra para quem se mantém reto..
Estou pagando o carro roubado e como atrasei uma suave prestação, tive um choque ao saber que ela passou de R$ 720,00 para R$ 893,00. Mesmo assim, paguei a dita parcela, afinal somos lambaris indefesos perto das grandes Orcas Financeiras e dos Bancos cooperados..As vezes aparece algum peixe-espada, chamado de advogado, tentando reverter esse processo de juros, multas e acréscimos, mas, a única coisa que conseguem contra uma Orca é ganhar mais tempo...
Uma parte de culpa é nossa pois não gostamos de matemática e a fizeram desnecessária aos nossos olhos. Assim, nos tornamos péssimos administradores de nossas finanças..
Bem, paguei a parcela, embora fui tentada a deixa-la de lado e suportar o entrave judicial, caso não pagasse...

sábado, 14 de novembro de 2009

O caso Geyse da Uniban

"Indecente
É você ter que ficar
Despido de cultura
Daí não tem jeito
Quando a coisa fica dura
Sem roupa, sem saúde
Sem casa, tudo é tão imoral
A barriga pelada
É que é a vergonha nacional" Trecho da letra Pelados, interpretada pelo Ultraje à rigor.
Pensava que as universidades discutiam a crise econômica internacional, a miséria do Brasil, a prostituição infantil, o turismo sexual envolvendo crianças, a violência civil que impede o direito de ir e vir, etc..
Meu carro foi roubado, de dentro da garagem e é óbvio que eu deveria ter me apertado mais e conseguido um seguro. E é assim que lidamos com o que nos dá enfaro, fingimos que nada aconteceu e agradecemos por ter um seguro...
Só podemos ir e vir em alguns locais e em alguns horários, mas nos trancamos em casa e aprendemos a conviver sem a tão sonhada liberdade, que um dia agitou a Revolução Francesa.
Nos adaptamos aos assaltos e esquecemos de nossa própria vergonha..
Roubam nossos relógios, nossos carros, nossas casas e até nossos filhos, sem contar os roubos feitos por juros e impostos e tudo o que fazemos é olhar o tamanho da saia alheia..
Somos excelentes apedrejadores dos que são considerados mais fracos do que nós..
Disfarçamos nossa própria incompetência apedrejando mulheres.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O segredo da vida..

Hoje completam 2 semanas sem meu carrinho querido. Não gosto nem de imaginar o que fizeram com ele, talvez um depósito ambulante de peças. Assim, tento não imagina-lo mais e aprender com essa perda..
Também fiquei sabendo que algumas pessoas (algumas que tem o seguro) chegam a entregar o carro para desmanches para poderem lucrar duas vezes. Bem, ai não se sabe quem é o ladrão, ou, se todos são ladrões..
Alguns dizem que todos, cedo ou tarde, tem seu preço ou que corrupção é apenas questão de tempo..Parece que esse foi o legado do capitalismo..onde se priorizou a peça e não a engrenagem..
Uma outra notícia que me preocupou é que no meu último ultrassom 4D, acusou-se excesso de líquido aminiótico, o que pode prejudicar o feto. O médico disse que provavelmente terá que interromper a gravidez antes do tempo previsto..Bem, estou num período em que já deixei de ser uma Brastemp e agora começam a surgir um probleminha aqui, outro ali..A máquina reprodutora, embora funcione, tem que se relacionar com o restante da nave mãe..que agora funciona como semi-nova..
Dizem que tudo na vida foi opção nossa, porém penso que nem tudo. Liberdade é legado de circunstâncias, ou seja, tem hora que podemos ser livres para escolher, no entanto, tem hora em que somos a escolha de terceiros, sem título de qualquer manifestação nossa.
No livro da moda, "O segredo" se enfatiza o poder de nosso pensar positivo e de como ele muda a rotina. Eu concordo, mas em partes. Alguns irão imaginar, com uma riqueza de detalhes infinita, e nunca terão o desejam.
Não sei, mas talvez o problema seja justamente o de imaginar muito e trabalhar pouco.
Caso pudéssemos fazer uma leitura real e lúcida do que somos e do que estamos nos tornamos, talvez vivêssemos com maior qualidade..
Estamos aqui na terra e desconhecemos de onde viemos e para onde iremos.
De onde viemos já ficou para trás, há muito, talvez porque já não seja tão importante. Para onde iremos está numa situação independente de nossos desejos, talvez porque também não seja importante..
As vezes é preciso admitir que não sabemos tudo, é preciso aceitar que perdemos, é preciso acatar que a luta ainda está somente no começo..Não somos super-heróis e seríamos felizes sendo?
O segredo é aceitar que existirão segredos que nunca serão descobertos e nem faz diferença descobri-los já que o Homus Sapiens sobreviveu até hoje sem saber tudo..

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Premonição II

As vezes penso que minhas premonições foram no sentido de que o maior perigo que eu estava correndo era o de continuar a pagar um carro que não está mais comigo..
Prestações salgadas de uma receita interna escandalosa..
Como não restaram muitas alternativas, comecei a orar e a clamar sem parar, claro, pagando as prestações..

Premonição I

Pois é..pois é...Nada de meu carrinho, somente os videntes que dizem que é para esquecer porque ele não reaparecerá..
Tem pessoas que questionam a vidência, porque afirmam que se ela existisse então muitos acertariam na mega-sena ou encontrariam a fórmula da juventude..ou diriam exatamente para onde foi o carro depois de roubado..
Eu também questiono a vidência, mas, apenas quando ela não me favorece ou quando não diz nada do tudo que eu queria descobrir..
Por fim, me guio pela intuição, embora haja tanta coisa no meu cérebro, que as vezes ela passa batida..
Se comprovássemos que existe o teletransporte, a leitura de pensamentos e a premonição também provaríamos a vida pós-morte..Mas, cada vez a neurociência descobre fenômenos cada vez mais físicos..Não obstante, ainda existem fenômenos não tão bem explicados..
Uns dias antes do roubo do carro, eu tive péssimas sensações..Sabia que o perigo estava rondando e o problema é que não sabia onde nem de que forma..Logo, agora entendi que não resolve muito ter premonições, salvo na qualidade de notificação..

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Ele não volta

Well,
Até hoje esperei uma notícia boa sobre meu carrinho, do tipo: "- Encontramos seu carro e ele está inteiro"...
Mas, embora, com a intervenção de orações, não veio notícia alguma..
Não ouso pensar o que fizeram com o meu ajudante principal..porém, nada mais posso fazer senão curtir um pouco mais dessa amarga esperança..
Nem sempre esperança é algo bom, as vezes é preferível não ter nenhuma pois ai a aceitação sobre os fatos vem mais rápido..
Agora é seguir a pé ..
Bom, na letra do "saudosa maloca" é dito que "Deus dá o frio conforme o cobertor"...Dai acredito que se não há nenhum cobertor também não deverá haver mais frio..Pronto, a culpa dos grandes invernos deve ser do cobertor..

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Final previsto..

Bem, sei que poucos lêem o meu super diário e não dou tanta importância para isso pois penso que tudo é questão de tempo...O importante é que ele ficará aqui guardado para todos.
Como disse ontem, quando o Chesco nascer eu irei parar de escrever...

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

41 - Feliz niver Cecília!


Hoje completo 41 e a gente nunca esquece a própria data. Isso é sinal que ainda gostamos de nós mesmos e aprovamos o que em parte sempre fomos e em parte nos tornamos..
E a gente vê todos os ciclos pelos quais fomos empurrados ou nos lançamos (a vida, na maioria das vezes, sempre nos dá duas opções no mínimo)e concluo que as cabeçadas valeram a pena. Cada desespero, cada ansiedade e cada queda foram para nos tornar mais fortes e infelizmente não são muitos que conseguem concluir o percurso. A meia-idade é um espectro privilegiado..Cabe-nos auxiliar os que estão vindo atrás porque já temos vários mapas de percurso. Nosso GPS é um dos melhores..
É nesse "meio" que descobrimos como sermos humildes e que não nos tornamos melhores do que os que estavam aqui antes de nós..
Minha mãe gritava histericamente comigo na minha infância e na minha adolescência. E eu entendi isso depois que tive a primeira TPM e meus filhos faziam as arquétipas artes...Meu pai me "prendia" dentro de casa e só descobri o que era pegar ônibus depois dos 15 anos e agora penso 50 vezes antes de permitir que minha filha de 15 anos vá em qualquer lugar que seja pois descobri que nem todas as pessoas são boas no mundo e que se eu a perdesse não me perdoaria nunca..
Agora entendo o por que da recusa da compra de uma simples bicicleta na infância já que meu filho quer um MP7 e nem em prestações eu conseguiria comprar..
Perdoar as pessoas pelo que não gostamos nelas é só uma questão de tempo, o tempo de termos nossas próprias experiências..
Um dia eu tive a certeza que sabia tudo, que era melhor do que os outros e que seria sempre jovem..
Felizmente, hoje sei que eu não era muito, mas, a cada dia estou me organizando para me tornar alguém e, que sem os outros que sabem muito mais do que eu, essa tarefa seria impossível.
Hoje tudo isso, que parecia ser eterno, passou...
Tenho dívidas que tento pagar, não tenho uma remuneração substancial ainda, moro em imóvel alugado, durmo na sala e levaram o carro que eu ainda pagava...
Mas..
Não conseguiram me deixar triste, apenas mais questionadora..
Poderão ainda levar minhas vestes, mas tem algo dentro de mim que nunca me tirarão se eu ainda estiver viva...
A cultura que adquiri ao longo desse tempo não me roubarão..
O conhecimento, a sensibilidade, a intuição. Ah! meu irmão! nunca me levarão, vai tudo embora comigo um dia..
O prazer que tenho com tudo dentro de mim é um diamante e eu o saúdo..
Enfim, gostaria de comunicar que esse diário acabará quando o Chesquinho nascer...

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Os ferrados

Pior do que ter que acordar cedo, é ter o carro roubado enquanto você nem tinha acordado e muito pior do que ter o carro, sem seguro, roubado é aguentar essas condicionais dos teus tenros conhecidos:
Elas geralmente são assim:
- Mas, você é uma mula, porque não colocou o carro no seguro?
E eu tive vontade de responder: - Nossa você realmente é um crânio, descobriu a pólvora (embora numa época que caminha para as armas biológicas). Pois é! Acho que não fiz seguro porque pensava que vivíamos numa época de ouro onde não há roubos ou seria porque as prestações do carro eram salgadas demais para acrescentar mais uma.
- Mas, então porque não comprou um carro mais barato?
E eu tive vontade de responder: - Deve ser porque, embora goste de BMWs, comprei um Pálio básico ou porque já tive fuscas 68, 74, 76, Passat 80, Monza 84 e Uno 90 e não aguentava mais ver os carros mais na oficina do que em trânsito, então arrisquei comprar um novo mesmo sem seguro.
- Ah isso foi burrice demais. Se fosse com o seguro teria outro carro.
E eu tive vontade de responder: - Concordo, somos todos burros quando investimos num bem para melhorar nossas vidas sem, é claro, o seguro...Afinal pagamos hediondo impostos que incluem segurança pública, mas não devemos acreditar em segurança alguma.
- Agora se ferrou!
Sim, me ferrei! Mas, Deus abençoa os ferrados dando-lhes força para levantar inúmeras vezes...
Quando eu não sei o que fazer, eu apenas sorrio e sigo em frente..


-

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O seguro que não fiz...


Nessa última sexta feira roubaram meu Pálio 2008 e foi de dentro de minha garagem durante a madrugada.
Não coloquei seguro no bicho pois as prestações já eram altas demais para poder acrescentar R$ 2000,00...Dizem que foi burrice e talvez ser burro é não ter valores adicionais...
Acho que estou em choque até agora e nem quero imaginar o que são traumas piores ....É complicado procurar uma coisa que não está mais onde deveria estar, ver o vazio e um portão aberto..
Estranho demais a existência de empresas seguradoras pois não eram para existir. Em tese, entregamos nossa liberdade particular para o Estado e ele, como um corpo, deveria nos proteger. Por outro lado, numa comunidade verdadeira, as pessoas não deveriam prejudicar sua própria espécie e por fim, todos deveriam ter realmente as mesmas chances para aquisição de qualquer coisa que necessitar. Então, em suma, vivemos apenas na ilusão pois somos apenas competidores de baixa estirpe.
Agora me restam os palpites. Alguns acham que meu carrinho já virou sucata e outros acreditam que ele está em outra cidade com uma nova chapa...De qualquer forma, comigo ele não está.
Dizem que não é para a gente juntar tesouros na terra porque as traças roem e os ladrões roubam, eu acredito nessa premissa...O problema é que só aprendemos a comprar e manter, manter e comprar. Assim, somos felizes, com a felicidade propiciada pelo que temos.

domingo, 25 de outubro de 2009

Mãe deveria ficar para sempre junto ao seu filho pequenino

"Mães deveriam ficar para sempre junto ao seu filho pequenino e ele, velho embora, seria sempre pequenino feito um grão de milho" - Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Dormir é o negócio..

Lembro-me bem das vezes em que me senti desrespeitada. Acredito que estava nas primeiras séries primárias e as professoras faziam coisas do tipo puxar o "rabo de cavalo" de quem conversava ou errava nas contas como eu. Também diziam inúmeras coisas pejorativas e com impacto. Por sorte, meu cérebro escolheu não gravar todas pois já deveria estar completo com o que ouvia em casa. No recreio era outra odisséia, colegas de todas as formas, alguns extremamente agressivos, outros riam de nossas roupas e nos ridicularizavam até por um adesivo mimoso na mochila. Bem, dentro de uma escola, percebi que era onde a verdadeira ditadura da socialização começava e como é doloso tal processo.
Hoje, numa outra unidade, no estágio, óbvio não existem mais puxões em "rabos de cavalos", mas os gritos dos mestres continuam e notei que a ordem de reação dos pequenos é a seguinte: Primeiro conversam ou tentam pular, depois do grito de advertência em público, encostam a cabeça na carteira e tentam dormir..
Dormir, eis nosso melhor dispositivo contra o que não gostamos e não podemos fugir. Dormimos porque é nossa chance de ouro de entrar em "off" e podemos deixar o nosso corpo ali mesmo. Ninguém pode contra quem dorme.
Eu dormi muito durante um casamento que eu questionava, infelizmente acabei prejudicando muita gente por dormir naquela época e disso me arrependo em cada dia que acordo. Ainda durmo quando vejo louça para lavar ou caca de cachorro para limpar...
Com certeza, se não fôssemos socializados, não dormiríamos. Na pré-história o primata que dormisse poderia ser devorado e é antagônico saber que a sociedade pós-moderna reinventou o sono justamente para que o homem não seja devorado demais.
Por outro lado, a não-socialização, talvez nos levasse ao desastre comportamental, muito embora, segundo Freud, a castração social advinda do processo de socialização é o motivo da maioria das neuroses que tanto nos perturbam..
Bem, o sono parece uma substancial defesa espontânea. Mesmo confundido com a preguiça, ele nos permite desligar a máquina para que ela não entre em pane...Nele estamos finalmente longe e sozinhos. Sabemos que ele é só um breve período e que depois voltaremos mais fortes ainda.

sábado, 3 de outubro de 2009

A felicidade de Roberto

Ontem li mais uma bela crônica do médico neurocirurgião Roberto Shinyashiki.
Ele tem uma história peculiar, embora trabalhe na área de saúde psíquica, tem um filho com problema neurológico.
Estranhamente ele não lamenta o fato, ao contrário, escreve crônicas motivando as pessoas à continuarem a seguir seus caminhos, não importando quantas dificuldades surjam pela frente..
Já pararam para pensar: Para que estamos verdadeiramente preparados? Para as equações do salário escasso? Para as perdas irreparáveis? Para as chuvas de longos dias?
Um dia nos disseram que tínhamos que vencer, mas não caracterizaram o que significa a vitória.
Existem pseudos vitórias. Você pode ter alcançado o alge profissional, ter um ótimo salário, porém, incrivelmente se ver só...
A verdadeira vitória, penso eu, é a felicidade, mesmo no cerne dos obstáculos...
Nenhum troféu vale nada se não fizer o sujeito feliz...
O dinheiro compra a felicidade?
Bem, meu salário é pouco, minha casa é alugada e necessita de reparos, meu namorado está em crise existencial e nem sabemos se nos gostamos...No entanto, se fosse tudo ao contrário, eu teria muito prazer na realização, porém não sei se seria feliz..
A maioria das pessoas não são felizes, prova disso são as guerras causadas por fria política territorial e a violência urbana com incontáveis vítimas...
Muitas vezes se confunde realização de objetivos e metas (criações capitalizadas) com felicidade...E o paradoxo é que felicidade nem é algo tão complexo..

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Estágio com o bebê


Meu estágio de Pedagogia iniciou ontem numa escola de 1a à 4a série. Adorei rever a inocência em seu gênero que se traduz na voz infantil:

- Cuidado com a tia, ela está grávida - Disse a profa. regente. Dai se aproximaram um grupo de alunos entre 5 à 6 anos..:
- Posso brincar com seu bebê?
- Tira ele dai um pouquinho só, a gente brinca com ele depois você guarda ele de novo...
- Bianca eu tô ouvindo o bebê falar
- Eu também quero ouvir o bebê falar
- Ele ouve a gente também?
- Tia por que o bebê só fala com a Aline e não fala comigo também?
- Tia por onde o bebê vai sair?
- Não tem abertura na sua barriga?
- Ele sai por onde entrou? Mas, por onde ele entrou?
- Ele lê ai dentro? Mas, não está escuro?

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Márcia


Existe um hai-kai que diz assim: " O canto das cigarras nada revela que elas irão morrer"
Lembro-me de uma professora morena, bonita e simpática.
Lembro-me de uma amiga pronta para ouvir..
Da guerreira que nos persuadia de que iria vencer o câncer...
Lembro-me de um final de tarde, acredito que era no final de Maio, que a vi pela última vez no pátio da escola e ela me disse: "Estou indo embora, não me senti bem nessa tarde, meus parentes vieram me buscar".
Lembro-me de sua lucidez e de sua força..
Cá, imagino que toda perda é brutal, principalmente a dos guerreiros. Platão dizia que a terra nos foi imposta por pena de pecados anteriores, porém, antagonicamente, não queremos ir ou deixar alguém que amamos ir..É nessas horas que percebemos o quão conectados estamos..
Não sabemos muito das metafísicas de um mundo pós-morte e a certeza de que ele existe é muito pessoal..
É certo que todos nós, cedo ou tardiamente, lutando ou já aceitando essa inabalável certeza, iremos perder a luta para permanecer aqui... O fato doloso é tentar aceitar o vazio e a estranheza que ficam ...
Como já foi dito no passado: "Morte só existe para quem fica porque a dor é para quem continua", assim, acredito que ela irá continuar vivendo, agora sem dores.
Nutro sempre a esperança de que em algum momento futuro todos nós nos reencontraremos, dessa vez sem problemas físicos e sem dores na alma e todos nós, juntos, deixaremos para trás picuinhas, medos e vaidades...
Lembrarei por muito tempo dessa incrível professora de história e por muito tempo ainda a verei sorrindo..
Não tenho mais o que dizer...

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

She say "no"


Fiquei aterrorizada ao ver a seguinte notícia virtual: "Pamela Anderson assusta os fãs ao ser fotografada sem maquiagem". Pensei de início, nossa será que ela fez alguma plástica que colocou o nariz ente os olhos?
A notícia continuava expondo seu conteúdo: "Ela mostrou alguns pés de galinhas e algumas manchas no rosto, assim mostrou visíveis sinais de sua idade". Então, entendi do que se tratava: Pura falta de notícia e por que não dizer, do que fazer!
Tratando-se de idade, todos têm uma. Tratando-se de envelhecer, bem nesse campo, após a puberdade, todo e qualquer telhado é de vidro. No entanto, não se entende por que, alguns gostam de atirar suas pedrinhas para ver se o telhado alheio trinca...
Vi e revi a fatídica foto da modelo de 42 anos e não vi absolutamente nada além de um belíssimo corpo e um belo conjunto harmonioso de rosto, cabelo e corpo. No fim, acho que tudo é produto desse câncer que mata milhões todos os anos, chamado inveja. Poucos aceitam que, para pessoas bonitas, idade é apenas um detalhe.
A notícia ainda dizia que Pamela se recusa a fazer qualquer tipo de plástica rejuvenescedora assim como passar cremes faciais ou filtros solares...
Isso! Dá-lhe Pamela, seja você e continue a colocar no chinelo esse bando de fúteis caras e bocas que não enxergam a essência da beleza...
Existe um momento na vida que fazemos jus à nossa parca inteligência, ou seja, depois que "pintamos e bordamos", chega uma hora que dizemos "Dane-se os pés de galinhas, as celulites, as estrias, a flacidêz. Dane-se as pessoas que falam de tudo isso como se fosse o mais hediondo dos crimes. Eu quero é ser feliz e viva as tortinhas de morango repletas de carbohidratos".
Brigitte Bardot passou pela mesma história, no auge largou tudo, foi fazer o que gostava, criar gatos e nunca se preocupou em envelhecer..Quem é, é, não tem como deixar de ser..Difícil é quem nunca foi, teve que construir e pode ver sua obra embargada..
Existe um exercício fácil para quem enxerga a feiura alheia: Olhar-se no espelho quando acordar, ou, depois de três dias de diarréia.
Adoro aqueles que se rebelam contra a vil ditadura da estética mesmo sendo belos..

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Benevuti cari


De acordo com o último ultrassom é um menino e irá se chamar, por influência paterna, Francesco...
Enquanto as crianças são pequenas tudo é fantástico para os adultos. Escolhem os nomes, as roupas e o tipo de educação..Somente na adolescência é que o bicho pega porque os antigos pequenos descobrem que podem ser grandes através dos desafios e nós seremos os primeiros desafiados..Quando não pudermos mais nos manter no desafio é a chegada hora de assumirmos que somos velhos, até lá manteremos a nossa sutil tirania e não houve revolução alguma, até hoje, que derrubasse o império dos mais fortes ou dos maiores em tamanho..
É na adolescência que se descobre que democracia é apenas uma renovação da antiga esperança de Atenas ou uma imagem representada pela estátua de liberdade.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A liga da justiça ainda é ilusão..


Fui novamente cumprir horário e ficar parada lá tem sido um tédio. Ninguém foi projetado para ser espectador de horas. Pior que isso, são as conversas em off, sempre sobre alguém e isso existe em quase todos os locais onde trabalhei. Não há prazer tão necessário do que falar baixinho de alguém..
O trabalho nos é uma prova difícil. É nele que revelamos nossas máscaras maquiavélicas..Lá invejamos, levantamos picuinhas e somente de poucos somos amigos..Sempre é assim, os mais velhos são os intocáveis e os mais novos devem levar umas pedrinhas para saberem se situar É o verdadeiro conflito de egos. Todos são reis e sábios..
Antigamente isso era chamado de competição e gerava promoção, porém hoje é somente para auto-afirmação..
O mistério é descobrir porque as mulheres, embora com alguma elegância, fofocam mais do que os homens...Não perdoam nem as mulheres grávidas assim como eu também não perdôo as não-grávidas.
Assusto-me em saber o quanto gostamos de curtir um veneninho ou uma fofoquinha fresca.
Atualmente se fala muito em trabalho em equipe. Por enquanto isso só tem dado certo na Swat americana..Uma pena!

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Velho índio guerreiro: Ressuscita!


Estávamos em meados de 1978, eu tinha quase 10 anos, entraram na minha escola alguns homens alegres e educados. Pediram licença à professora e nos deram gentilmente 3 canetas, uma régua e um chaveiro, todos de um time de futebol que eu desconhecia. Era o Guarani!
Adorei os presentes e a partir daquela data me tornei fã incondicional daquele time, mesmo não entendendo bulufas de futebol e nem de pessoas que eram presas porque, segundo minha mãe, "tinham falado mal do governo".
No início foi difícil manter essa torcida única dentro de casa, pois todos lá eram ponte-pretanos. Diziam até que criança se vende fácil, onde já se viu se tornar fã de um time porque ganhou umas canetas, uma régua e um chaveiro?..Ah! Eles não entendiam que eu nunca tinha ganho nada numa escola e nem só de notas e conceitos vive um filhote.
Mesmo com críticas, me mantive fiel à esse time até porque foi o único que pensou na época em presentear seus futuros torcedores..
Eu soube naquele mesmo ano que meu recém time havia se tornado campeão e fiquei triste porque minha família se recusou a assistir o final do Brasileiro pela TV..
Fiquei também fã do Neneca e do simpático Zenon. Achei o máximo um adolescente de 17 anos, apelidado de Careca, definir nossa vitória..
O triste foi que, depois, fiquei torcendo e torcendo, mas, nunca mais vi meu time campineiro ser campeão..Disseram que era culpa de dirigentes..
Sobre isso aprecio falar que ainda quero viver o suficiente para ver meu bravo índio guerreiro ressuscitar e reunir todos nós, que já não precisamos mais ganhar mimos nas escolas, vencer...
Merecemos isso, pois 1978 é um ano longe demais..
Avante, avante o meu Bugre, que nós queremos vencer!! Um time que tem hino inspirado na obra artística de Carlos Gomes não pode mais ficar de fora.

Falta de palavras

Eu tenho ido ao trabalho, mas, não posso ficar nas salas de aula em virtude das medidas preventivas da mais recente gripe..
É certo que para morrer basta estar vivo, no entanto existem problemas físicos que podem ser previnidos. Ultimamente as regras são básicas: se alimentar adequadamente e não frequentar lugares lotados e sem ventilação..Também poderíamos coroar o não fumar, o não beber, o praticar algumas atividades físicas e o sorrir para a vida, mesmo que essa seja uma maratona além de nossas perspectivas..
Interessante é que o que sabemos sobre a vida vem de nossas experiência e sobre a morte não temos experiência alguma. Na verdade, só teremos experiência no futuro e será única..Embora tenhamos experiência com a morte alheia, apenas podemos imaginar como será a nossa e paradoxalmente essa é a nossa única certeza. Um dia iremos acabar. Muitos afirmam que não é o fim e sim uma transformação. Todavia, nunca poderemos saber efetivamente se virá algo depois..
Assim, por mais que falem, salvo se nossas forças se extinguirem, nós nunca estaremos preparados para deixar o planeta terra sem resistência..
Não podemos ser insensatos a ponto de dizer que não temos medo da morte porque nunca a enfrentamos em grau suficiente e quando a enfrentarmos não teremos mais afirmações..Uma das características da morte verdadeira é justamente a falta de palavras..

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Filho do sol..

Saindo, como sempre atrasada, para ir levar as crianças no colégio, parada em um dos sinais vermelhos da Av. Cillos, dessa vez, não esbravejei. É que ao olhar para o meu lado direito eis que vejo um belo motorista. Óbvio que eu só podia ver o rosto, mas era um rosto do tipo "Vem cá meu bem". Um moreno jambo, como há tempos eu não via..Daquele tipo meio índio, ou, meio oriente médio, cuja a cor da pele e a precisão do olhar coloca qualquer mortal de joelhos. Não basta ser bonito, tem que saber olhar e sorrir..
De todas as peles variadas que vi, a que mais me atrai é a naturalmente morena.
Parece que os habitantes desse planeta vivem rodeados de sol, deve ser por isso que são tão quentes..Eles atraem nossos corações para a fogueira e com eles, o pecado, parece sempre compensar...
Os morenos jambos também são donos de um olhar másculo e de um sorriso que parece saber o que cada mulher quer..Se Dom Juan existiu, com certeza era moreno jambo.
Quem olha para eles não se importa com o tempo de semáforo fechado..
De todas as misturas possíveis, acredito que as que levaram o DNA de árabes foram as que mais deram certo, ao menos do ponto de vista feminino. Embora há ignorante pensando que só tem macarronada, no Sul da Itália, dizem que têm muitos espécimes assim, por isso ainda quero conhecer tal região onde os Mouros um dia invadiram e dai criaram a felicidade feminina..Quem acha que o tamanho do orgão genital masculino faz diferença é porque não entende nada de pele...
Bem, mas sempre tem alguém que buzina atrás quando o sinal abre e tive que ir...
Aposto que era uma perua frustrada com a felicidade alheia..

sábado, 15 de agosto de 2009

R$ 0,60

Fui ao supermercado e cada vez me choco mais ao ver que nosso salário, que é sempre fixo, não pode mais acompanhar nossos gostos básicos.
É certo que antes ele não acompanhava, aliás ficava bem longe, de nossos luxos, mas de compras elementares, acho que é algo que a geração classe média (será que existe o termo ainda?) ainda não conhecia..
Ultimamente, no meio do mês, a gente precisa contar centavos para dar o valor de um refrigerante..
E quando entramos nesses "mini-shoppings", nossos olhos se perdem em tantas guloseimas ou na variedade de produtos para a casa. Porém, aos poucos, vamos acostumando a chamar tudo isso de "perdição"..
O meu salário não tem durado mais do que 10 dias e estou quase acreditando que ainda irei poder viver sem ele..Além do mais, estou concluindo que nossos salários não foram idealizados para acompanhar o custo de vida, ou, da vida..
Dentro do supermercado aprendemos a arte da visão dupla, olhamos simultaneamente a mercadoria e o preço.
As vezes, funcionários trocam peças e preços dos lugares corretos e no caixa existem discussões por $ 0,60 (o preço certo na mercadoria errada)...
Doravante, passamos por tudo isso porque temos algumas facilidades, como por exemplo: não precisamos produzir nada em casa...
Não sabemos mais fazer pães, doces ou roupas dentro de casa..Aliás, poderíamos também ter sido os carpinteiros de nossas casas..
No EUA, estão plantando laranjas, aipos e chás no jardim frontal das casas. Há casas que chegam a produzir 80./. do que consomem..
Essa coisa de concreto no chão é inóspita..foi invenção de alguém que queria construir um supermercado...
Não precisamos de muito espaço para plantar o que comemos, nem de grandes oficinas para produzir algum bem doméstico..
A questão é que as facilidades de compra e venda, além de nos falir, nos tornou preguiçosos e isso está travando nosso cérebro também..
Tudo aquilo que não produzimos, compramos e quase tudo que desejamos, não produzimos nem conseguimos comprar..
Somos nobres descendentes de pastores, carpinteiros e agricultores, mas atualmente nossas mãos só trabalham em teclados, em botões de liga/desliga ou para carregar sacolinhas de supermecados, o que é um tédio para a alma.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

O cavalo precisa estar em pé

Agora a pouco recebi um email dizendo que uma certa jornalista austríaca, Jane Burgermeister, entrou com um processo criminal contra a OMS. Segundo o email, a epidemia da gripe suína foi criada pela Indústria Farmacêutica e sua possível vacina será, na verdade, uma arma de genocídio em massa, o que não é difícil de acreditar ..
Há quem jure, com registros e documentos, que foi na década de 50, especialmente no Congo Belga, que cientista belgas, acidentalmente, criaram o vírus HIV. Provavelmente a América Latina assim como a África sejam tonéis de testes farmacológicos..
Sabemos também que a história é sempre oficial, mas que sempre houve um "oficioso" desde a época do Império Romano..No entanto, eu penso que essa informação sobre a vacina não seja de todo convincente..
Primeiro, se a maioria de nós morrêssemos, quem pagaria essa parafernália de altos impostos?? Quem pagaria as contas dos senados mundiais?
Se sobrasse apenas uma mísera elite, alguém precisaria trabalhar no pesado, construir prédios, servir cafés, etc. Os nobres fariam isso?
Segundo, é pouco provável que todo mundo morresse ao mesmo tempo assim que tomasse a vacina. E até que isso ocorresse, o Sistema de Saúde teria altos gastos para tentar ajudar a todos. Um teatro desses seria mais caro que o filme Titanic produzido em Hollywood.
Terceiro, concluindo, se isso ocorresse não haveria quem trabalhasse numa sociedade montada sobre as relações de trabalho, sem dizer que o trabalhador também paga taxas sobre sua própria produção..
Ao contrário, particularmente, penso que nos querem fortes como um cavalo..E o cavalo precisa estar em pé para ser montado...
Não obstante, ainda bem que a analogia é com cavalos, já imaginou se fossem com os fortes touros de Madrid?
O mundo não sobrevive um minuto sem pagantes operários.
Acho que fomos salvos pelos impostos, dos que pagamos na fonte e dos que pagamos à parte, como também pela nossa força de trabalho. E tem gente que ainda reclama de pagar e de trabalhar tanto!!
Acredito que nunca existirá conspiração contra a saúde de um operário.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

A gripe que trouxe a folga..

Praticamente prestes à voltar ao trabalho na escola no próximo dia 17, eis que ouço a notícia de que a nossa Secretaria da Saúde irá restringir o trabalho de mulheres gestantes que trabalham diretamente com o público. Então, não sei como irei ficar..
Fico imensamente feliz que alguém se importe com um outro alguém, nesse mundo de xingamentos e omissões dos ditos "bons"..
Mulher é um bichinho que parece que já nasceu com a culpa universal. Se você engravida inadequadamente, alguém diz: "- Por que não tomou corretamente o anti-concepcional?" Se seu bebê não nasce gordinho e dá um espirro, provavelmente você não se alimentou direito na gestação.
Já nos colocaram tantas culpas que é inútil enumerá-las.
Os DNA's questionáveis são sempre da mulher..Isso, sem contar que no passado, éramos conhecidas como "incapazes". Provaram até que nosso número de neurônios é menor do que do sexo oposto. Quem mandou oferecermos a bendita maçã ao inteligente e ingênuo Adão?
No entanto, acredito ser interessante a atitude governamental de nos afastar do perigo do contágio..Afinal, ninguém chega à terra senão através das grávidas.
Aquelas que se acostumaram a carregar a si e a outro corpo, que se equilibram como podem quando o seu eixo gravitacional muda. E além de outros corpos, ainda carregamos os hormônios.

sábado, 8 de agosto de 2009

Vitor, o frei

Hoje fui a um mosteiro pela primeira vez. Estava visitando um ex amigo mundano, o Vitor.
Ele era um dos amigos mais gatos que tive, do tipo "mauricinho": sempre bem arrumado, lindo e educadérrimo..Até que aos vinte anos deixou a família, as roupas de grife e o carro esporte. Só não abandonou a cultura e a boa educação. Ah! essas duas características ,depois de estabelecidas, nem se quiser, alguém pode largar. Podem até lhe roubar as roupas e deixá-lo nú em praça pública, mas não podem lhe roubar nem cultura nem educação.
Existem homens que são extremamente educados com damas para a conquista, porém logo depois do êxito, as tratam pior do que velhos camelos. No entanto, existem outros que tratam educadamente, da mesma forma, todas as mulheres, freiras ou prostitutas. E sempre irão tratar todas bem. E estes são os verdadeiramente cavalheiros..
Vitor abandonou a todos nós, sem muitas explicações e entrou para um Mosteiro Franciscano. Lá não tinha visitas, as vezes nem podia falar. Fez voto de humildade, de pobreza e passou vários dias em jejum.
Nós acreditávamos que ele não iria aguentar seis meses e logo voltaria para a vida anterior. Mas, estávamos enganados. Ele não só está lá há quinze anos como parece ser o mais feliz da turma.
Hoje ele me disse que na época se sentiu tocado e chamado por uma força desconhecida, entretanto, maravilhosa. Essa força gratuita o modificou.
Ele disse que não tem desejos sexuais, nem desejo de beber ou fumar..
Ele está contemplado e disse que do mundão nada mais deseja, pois tudo conquistou..
Será que ele alcançou o Nirvana?
Ele também me disse que somos nós que fazemos nossas prisões e quanto mais necessitamos do mundo, mais nos tornamos cativos..
Não obstante, acredito que a coisa seja mais extensa. Eu acredito que é Deus quem chama seus escolhidos, conforme o que lê em seus corações, senão todos nós estaríamos lá..
Segundo Vitor, se aproximar de Deus é melhor do que orgasmo e quando nos aproximamos percebemos quão grandes somos..
No mundão somos sempre menores viciados e contentes com pouco.
Aprendemos a viver com esse pouco e essa idéia é a origem de nossa miséria. Quem se aproxima de Deus descobre que tem poderes também e vai para outro planeta bem melhor do que aqui. É o fenômeno da transcendência, saímos da matéria que nos reprime para a contemplação divina..
A felicidade de Vitor me deu inveja. Já imaginou alguém não precisar trabalhar no Senado Federal, não fazer viagens à Paris, não precisar de um Honda Civic, não ter fumado um baseado, não ter casado, não ter tido filhos nem conquistas amorosas e ainda se declarar feliz?? Vitor superou as grades.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

O pai é um herói

Os meus filhos são muito educados com os outros, mas as vezes não me ouvem uma só vez, principalmente quando o assunto é ficar no PC de madrugada. Chegam a me insultar. E quando isso ocorre eu me calo e saio de perto. Dizem que isso que faço não é educação e que crianças pré-adolescentes precisam de limites. Porém, confesso não consigo..me travo quando teria que ser mais austera.
O motivo talvez esteja no passado, quando tive depressão e também fui imatura. Nesse período eles eram muito novinhos e confesso falhei muito, principalmente não podendo dar o carinho que eles precisavam. Naquela época me tornei emocionalmente instável e não vi mais ninguém à minha volta, me reservei e me fechei para eles..
Então carrego a culpa de só ter estado fisicamente por perto, sem poder cuidar bem deles, sem ter feito deles o motivo para que eu continuasse vivendo..
Essas lembranças amargamente surgem sempre na minha cabeça e, embora eu tenha tentado, depois que a dreprê passou, a proximidade total com eles. Não sei se eles me perdoaram por não tê-los amados suficientemente no passado..
Não há nada pior do que as lembranças de nosso egoísmo, quando não era época para egoísmo..
Essas lembranças se tornaram meu fardo e por mais que eu viva, sempre que olhar para eles terei uma mágoa de mim mesma..
Nossa consciência é nosso mais severo juiz..Ela não dá tréguas, não nos deixa esquecer, talvez para que não erremos mais..
Assim, até quando me chamam de "idiota" eu me calo e no fundo, concordo com eles..
Por sorte, o pai deles não carrega nenhuma culpa. Sempre os amou unilateralmente e sempre fez tudo por eles. Para eles o pai é um ídolo, um exemplo. Bem, eles nunca foram desobedientes para com o pai. No entanto, seria o único momento em que eu não exitaria em ser austera para com eles, pois não poderia tolerar que o desrespeitassem.
O bom da espécie humana é que, para o desenvolvimento dos descendentes, é preciso de pelo menos dois para ajudar na criação. Se um falhar, haverá ainda a chance do outro conseguir suprir os dois lados. O pai deles supriu louvavelmente o meu lado, até que eu consegui ter consciência total da situação e pude ainda dizer que o meu lado aprendeu a não conseguir mais viver sem eles também..

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Senhora


Hoje fiquei muito zangada interiormente porque, no supermercado, me chamaram de "senhora". E como represália, também chamei o atendente de caixa, que deve ter uns 20 anos, de "senhor". Para quem já foi chamada de "senhora", creia que a melhor vingança é chamar o abusado(a) que lhe chamou disso também de "senhor ou senhora" (quase sempre a pessoa se toca)..Prefiro que me chamem de "tia" do que disso..
A questão é que há umas décadas atrás, "senhora" designava status e era bem visto pelas mulheres narcisistas. Mas, hoje, qualquer uma cuja aparência está acima dos 30 é rotulada com esse termo.
Alguns dizem que é sinal de respeito, mas isso é balela. E os mais novos, não merecem esse termo como sinal de respeito?
A grande verdade é que, nós fêmeas, mal podemos ter o nosso primeiro pé de galinha ou engordar uns quilinhos que já vem esse horrendo termo que acaba com nossa feminilidade..
Sim! Quando dizem isso, indiretamente nos chamam de velhas e se bobear querem nos ajudar a atravessar a rua, acreditando que é um ato generoso e respeitador.
Cá para nós nunca vi uma mulher, que ainda se considere atraente, com qualquer idade que seja, gostar de ser chamada de "senhora". Isso nos soa pior que palavrões do tipo que se houve no trânsito..
Todavia percebi características que essas pessoas usam para formar a estética da "senhora".
Eles fazem a relação mediante às seguintes características: Voz, cabelo, tipo de roupa e peso. Se você conseguir equilibrar essas características, poderá subir para a condição de "você"..
Particularmente, adorei não ser mais "jovem" porque eu era idiota demais quando fui uma. No entanto, quero ser apenas considerada "madura" o que é o justo..
Doravante, vou tratar de cuidar dos meus cabelos e fazer um peeling facial, quem sabe eu engano o olha popular..

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Os orkuteiros que me desculpem, mas originalidade é fundamental


Hoje uma amiga virtual do Orkut escreveu e reclamou pelo motivo de eu nunca escrever na página dela.
Ela sempre me manda aqueles recadinhos coloridos, com música, versos e realmente nunca respondo. Gosto da atitude da pessoa em lembrar dos amigos, todavia não gosto de "recado em massa", ou seja, mandar os mesmos recados para sua lista inteira de amigos. Não que eu quisesse exclusividade absoluta, mas, gosto de originalidade. Não me tocam recados "do coração" que são produzidos para todos os gostos, inclusive para os não românticos.
Lembro-me quando comecei a minha saga na net.
A única conexão possível era a de outra cidade e discada. Não era possível permanecer muito tempo on-line, salvo pagando (como eu paguei) contas telefônicas exorbitantes.
Lembro-me de ficar muito tempo trocando conversa com paqueras no MSN e de ter conhecido algumas pessoas chatas e complicadas que contracenavam com outras que só habitavam o cerne de meus sonhos e com certeza, digitavam tudo que eu queria ler..De todas essas, ficaram apenas três contatos..
Naquela época, tudo sempre acabava em MSN, inclusive as pizzas de sábado a noite e o velho ICQ ..
Nunca reclamei muito pois foi por esse meio que conheci o pai de meu embriãozinho..
Depois, prevaleceu o velho telefone e quem era realmente importante ficou na agenda telefônica e como, no momento, não me interesso por pessoas muito distantes, ainda não tive necessidade de Skype ..
Agora o Orkut foi uma surpresa. Uma página onde as pessoas se conhecem, se reconhecem e trocam curiosidades diárias..Uma fofoca moralmente permitida..
O único problema é que alguns fazem da página sua única vida e levam tão a sério sua rotina ali, que se sentem traídos quando não participamos dela..
Eu gosto do espaço, também sou curiosa, além do que existem comunidades bárbaras e pessoas ultra interessantes escrevendo..O único problema é que estou numa fase da vida, talvez a Idade da Razão, que tem gostos refinados, cuja percepção permite descobrir muita coisa tanto na primeira palavra dita quanto na primeira frase digitada, especialmente se não houver originalidade.
Seria bem diferente se alguém me convidasse para um café ou pedisse meu telefone depois de um tempo em Orkut. Não obstante, todos acabam se acomodando ali, se contentando em ler o perfil alheio e isso é uma barbarie. É como olhar fotos numa sepultura. Mesmo que a foto responda, ela não tem voz. Ela é algo sempre no tempo passado.
Então, me perdoe os amigos virtuais, se eu os abordo com minha personagem 2 da minha second life...

sábado, 1 de agosto de 2009

Emergindo: Glup, Glup

A gripe começou a fraquejar e eu a ficar um pouco mais forte.
Andei num desânimo forte. Nesse estado via tudo para fazer aqui em casa e mal conseguia me levantar do sofá.
Tal falta de "ânima" se fazia confundir entre a gripe e uma possível depressão..
Em 2000 já venci uma depressão quando conheci o chamado "fundo do poço" e depois fiquei feliz por aquele buraco não ser um buraco negro...
Naquela época a deprê se deu por falta absoluta de maturidade e os remédios pioraram o meu quadro emocional, mas, agora, se acontecer novamente, provavelmente a causa será hormonal..
Santos e diabólicos hormônios, tanto geram a vida quanto derrubam seu vigor.
Dessa forma, escrevo para que meu cérebro reaja e se mantenha como um gladiador pois é mais fácil sarar de uma gripe do que encarar os meus, nada subordinados, hormônios ...
Agora entramos em Agosto, alguns dizem que é um mês do azar (qual será o mês da sorte?). O mês de setembro também é complexo, pois é o mês anterior ao meu aniversário e os astrólogos chamam esse mês anterior de "inferno astral" (qual será o mês do paraíso?)...Apesar de especulações, terei muitas esperanças de que todo sinistro não passe de lenda urbana pois já nos basta o pecado original para que ardamos aqui na terra .
Uma parte de mim é mística e outra parte é racional demais. Não sei qual das duas é superior, porém, as duas juntas precisam me devolver a "ânima", a animação e a reação ..

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Tudo lotado!

O meu estado físico, com falta de ar, ainda não melhorou. Tentei ir ao médico, mas os pronto-socorros e os clínicos gerais estão lotados.
Bem, se eu não estiver com algo sério, tenho certeza, que ali na fila para a consulta, ficarei. Particularmente, acredito que foi o clima que me causou esse estado. Esfriou, choveu e tudo que não é rotina, não é bem visto pelo organismo humano..
A nossa volta ao trabalho também foi adiada. Como trabalhamos em salas de aula fechadas, preferiram que retornássemos no dia 17/08..
Quando eu melhorar, escreverei mais...

terça-feira, 28 de julho de 2009

Cadê o vírus comum da gripe?

Não estou me sentindo muito bem nesses dias e o motivo é uma gripe que insiste em tentar atacar minhas vias respiratórias..
Embora esteja me cuidando, já tem duas semanas e os sintomas minimizaram, mas não sumiram...
É difícil ir ao médico por um espirro ou uma tosse, irão me chamar de hipocondríaca, porém, como surgiu o assunto da gripe suína e o problema do seu contágio a outros, creio que não terei opção senão ir a um clínico...
O ar é algo tão gratuito que não nos permite sentir sua magnitude e só sentimos falta dele nessas horas..
A maioria das pessoas fala da água, de seus átomos, de suas influências na vida do planeta, até em Marte tem água. Outros falam do fogo, inclusive ele é relacionado ao conhecimento, além do que ele foi decisivo em nossa evolução como Sapiens. Já imaginou não cozer carnes para quem não é vegetariano?. Outros falam da terra e da forma como ela nos mantém vivos, mesmo que não mereçamos...
No entanto, nesse momento, exalto o Ar, que seja abençoado o ar.. !

domingo, 26 de julho de 2009

O amor de inteiros na Ásia


Não sou casada com o pai do bebê que irá vir e nem iremos nos casar. Isso porque, tanto eu como ele, após anos de divórcio de casamentos anteriores, estranhamente, aprendemos a viver sozinhos..

Houve um tempo em que se acreditava que o amor era a união de duas metades. Agora acreditamos que é a união de dois inteiros. É óbvio que numa relação, os dois inteiros passam por mudanças, por troca de alguns conteúdos que já tinham, mas, não deixam de ser inteiros, uma vez que já aprenderam a ser inteiros..

Todos nós temos singularidade e manter essa esfera é o que nos impede de nos tornarmos fúteis ou massificados..

Poderia ter tido vários pais, os pais idealizados, porém tendo já conhecido os meus, ainda sentiria falta deles se visse a multidão e ninguém ali fosse eles...

Esse terceiro filho já é diferente dos meus anteriores, mesmo não valendo mais nem menos que os outros..

Minha menina mais velha é um doce, embora extremamente introvertida. Eu acho que quando ela foi para a escola pela primeira vez, esperava o mesmo tratamento que tinha em casa, cheio de paparicações por ser a mais velha, o que não deve ter ocorrido. Dai, ela se fechou demais . Eu sempre tento lhe explicar que socialização é justamente isso, um choque com o que esperamos e um choque com as expectativas que nutrimos. O "outro" ,por vezes, nos é um inferno (como diria Sartre), mas é pelo olhar do outro que sabemos que estamos aqui..

Meu filho do meio já não teve esse problema, se enturmou muito rápido, mas é desatento na escola, pois não a considera tão importante quanto o ato de se divertir..E eu sempre lhe digo que existem coisas que são importantes e iriam definir nossa vida para melhor. Nem sempre essas coisas importantes são as mais fáceis ou aquelas que mais gostamos. Muito do que fará diferença em nosso futuro, não nasceu importante aos nossos olhos, não era belo ou atraente, mas está ali para nos ajudar...Muito do mundo é feito do que não gostamos.
Também questionei muito o papel da escola no desenvolvimento da pessoa, porém, reconheço que ela é um dos passaportes mais viáveis para se chegar onde quiser..

Agora esse terceiro, por enquanto não pedirá mais do que refeições, colos e berços e por onde andará depois é ainda só sonho meu e do pai dele...

Não sei como será essa relação de ele ver o pai de vez em quando, ou, quando o pai puder. Por sorte, o pai mora por perto..

Não temos (ao menos por enquanto) um salário apropriado para montarmos um quarto dos sonhos (nosso) para recebê-lo..Gostaríamos de dar mais materialmente. Doravante, miro o exemplo de minha avó negra Henriquieta. Ela criou 12 filhos, sendo empregada doméstica e seu marido, marceneiro, numa época em que brinquedo de loja era somente para magnatas e todos seus filhos se tornaram honestos e prósperos.. Objetos de consumo sempre perdem o significado. Não é da melhor boneca que nos lembramos nostalgicamente depois que crescemos..
Então, no momento, só queremos o que podemos dar. Podemos dar raízes para que ele se desenvolva e depois ande sozinho, escolhendo seus próprios caminhos, mesmo que seja para depois se despedir da gente porque encontrou um amor na Ásia..Se isso ocorrer, irei então desejar que ele se mantenha, como nós, inteiro para amar..

quinta-feira, 23 de julho de 2009

A inteligência da simpatia...

Hoje fiz um ultrassom para checar a medida da translucência nucal e ela está na medida certa, abaixo dos níveis de riscos. Enfim, respirei aliviada...
Fiquei pensando como será intelectualmente esse bebê?.
Óbvio que todos os pais querem um Einstein ou um Mozart na família e acho que poucos planejariam alguém com nulo destaque..
Mas, eu penso que um Q.I, dentro do normal, já é o suficiente, o resto simplesmente acontece. Existe um outro tipo de inteligência, que talvez nem esteja consagrada na categoria de inteligência, que é a simpatia, ou, a boa sociabilidade..
Uma pessoa inteligente de fato, não liga a mínima para a capacidade de sintetizar equações se não consegue fazer amigos, ao menos na vizinhança..
Uma pessoa inteligente sabe que precisa das demais, sabe que precisa se inserir e não se fechar em seu quarto..É esse o segredo da sobrevivência milenar.
Não teria adiantado nada ter descoberto o fogo, a roda e o arado, se não conseguíssemos viver em grupo.. Se não tivéssemos aprendido a dar "bom-dia" tanto ao zelador como ao síndico, pouca seria a valia de ter descoberto a infinidade de galáxias..
A sobrevivência, depende do outro. Fique isolado numa ilha deserta e descobrirá que não importa o número de neurônios e nem suas comunicações eficientes. Vivendo assim só o lendário Robson Cruzoé sobreviveu...
De nada adianta falar a língua dos anjos, é preciso saber sorrir para os homens..
Pessoas simpáticas vivem por mais tempo...
Concluindo: Salve simpatia!!

terça-feira, 21 de julho de 2009

O filho é o pai

As vezes me pergunto por que todos os bebês nascem bonitinhos, fofinhos, felizes, contemplados apenas com a luz e a novidade e alguns se tornam uma imagem tão distante dessa estética?
Todas as crianças têm sua graça própria, independente do status quo, mas, algumas se tornam adultos egoístas e frios nas relações sociais, perdendo a beleza original..
Muitos se tornarão drogados ao ponto de se parecerem cadáveres ambulantes, outros viverão em constante depressão, outros morrerão ainda jovens, abaixo dos 18 anos, assassinados por outros jovens da mesma idade.
Culpa-se a situação social pela violência juvenil, porém provavelmente é a carência de afetos que deixa o indivíduo desnutrido emocionalmente..
Sinceramente não acredito que alguém, estimado, desejado e bem-tratado mate ou torture alguém ou a si mesmo.
Nossa nutrição inicial precisa ser mais do que cálcio, ferro e B12. A alimentação ideal ao bebê vem do olhar compreensivo e do colo protetor do tipo "Eu sempre estarei aqui com você". Se essa nutrição não for concluída antes dos 5 anos de idade, a criança crescerá com deficiências severas pois não é "só de pão que vive o homem" e a "gente não quer só comida"...
O adulto expressa o que aprendeu, se ele foi amado também amará e amar é uma qualidade ensinada com exemplos..
Como dizia Freud "O filho é o pai"..

domingo, 19 de julho de 2009

98


Não sei por que, mas nessa tarde tive a lembrança de minha avó por parte de mãe, Henriquieta...
Ela era do Maranhão, uma mulher negra e tão forte que faleceu aos 105 anos porque o coração parou, permanecendo extremamente lúcida até o final..
Eu invejo a força física e emocional dos negros puros. Passaram de reis à escravos na antiguidade, sobreviveram aos imundos navios negreiros, ao preconceito, sem eira-nem-beira, após a sonhada liberdade outorgada..Choraram em silêncio e ainda apresentaram o Blues ao mundo e ninguém nunca tocou como eles..
Henriquieta era geniosa, não aceitava ser contradita. Casou-se com um imigrante italiano (falecido aos 50 anos de nome "Vitório Scavassani" e criou, acredito, que doze filhos, sendo que a metade deles já tinha morrido há tempos quando ela fechou seus olhos pela última vez..
Eu gostava dela embora não tivemos muito tempo para conviver e dai fico pensando se teria a mesma força para chegar a mais de 100 anos.
Na verdade, eu não consigo interpretar a vida como anos e sim como episódios...As vezes temos a impressão que já vivemos muito, que sabemos quase tudo e já até profetizamos o nosso final, não importando se estivermos errados..
De qualquer forma, antes de morrer, ainda preciso conhecer a Itália, o Egito e a Alemanha e de repente isso só irá acontecer lá pelos meus 98 anos...Doravante, talvez meus desejos, ainda não realizados, me impulsionem a querer viver mais, depois que as responsabilidades sociais, como a de criar e conduzir filhos, já não forem tão importantes. De qualquer forma, numa coisa espero ter mais sorte que Henriquieta, espero cumprir meus desejos e partir bem antes de qualquer filho meu ou de pessoas que eu, egoísticamente, queira sempre por perto..

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Já imaginou duas Cecílias?


Hoje vi na TV, que as pesquisas sobre clonagem estão progredindo cada vez mais...Quem disse que os homens também não podem criar? O que provavelmente é impossível é a originalidade com que fomos criados.
Com o tempo, talvez seja complexo dizer aos meus três filhos, que eles foram feitos à forma antiga, ou seja, são a mistura de dois DNAs diferentes..
Francamente, eu gostaria de ter um clone meu, não por egocentrismo, mas por muita curiosidade. Será que ele teria as mesmas características emocionais que eu? Ou o ambiente o diferenciaria muito de mim? Seria muito legal conversar com alguém que tem literalmente a "mesma" cabeça que a minha. Fico pensando, já pensou a cópia ser quase idêntica ao original? Nesse caso, ninguém mais morreria em tese...
Por fim, talvez só restassem clones na terra, os originais iriam morrer com o tempo e ninguém mais se arriscaria a ter filhos, já que poderiam haver problemas inesperados. Seria muito perigoso acreditar no acaso.
Os originais morreriam, como sempre morreram, de doenças diversas, de velhice ou de tragédias. Seria bem mais prático, se auto-clonar, morrer sabendo que quase tudo em você continuará..
Mas, dai uma dúvida, quem seriam os imperfeitos, nós, os originais?
Bem, assim acho que chegaríamos na Teoria Platônica do mundo Perfeito das Idéias.
O interessante nessa teoria, é que é a terra o centro da imperfeição e tudo aqui é apenas cópia imperfeita do que é perfeito, entendeu?
Haveria, para Platão, um mundo Perfeito, do qual temos apenas reminiscências e a partir delas construímos tudo à nossa volta.
Considerando que a terra seja legada aos nossos futuros clones. Nesse caso, já que não somos perfeitos, temos apenas o desejo de perfeição, os clones seriam cópias imperfeitas ou perfeitas dos seres imperfeitos que desejavam ser perfeitos?
Confundi muito?

terça-feira, 14 de julho de 2009

O quarto que não existe..







Ontem meus filhos, que são um menino e uma menina e já estão na idade de adolescência, reclamaram, não sem razão, sobre o quarto que aqui dormem.
Nossa casa alugada possui dois quartos internos e no maior dormem as "crianças". No entanto, sendo eles de sexos diferentes, a falta de privacidade já se tornou incomoda.
É bem difícil locar casas com 3 quartos porque são muito caras. Geralmente os casais, primeiro geram a casa e só depois os filhos. A maioria está optando apenas por um herdeiro. Dai me perguntei: "- Será que comecei errado?". Pode ser, todavia, ainda não tinha pensado nisso até ver que não havia quartos suficientes para todos..
Nunca ganhei herança material suficiente como também ainda não consegui um trabalho rentável o suficiente para que tivéssemos uma poupança..
Doravante, tem gente que diz que o problema é que nunca joguei com "fé" na mega-sena..E o problema real é que nunca acreditei em jogos que uma minoria insignificante ganha e a massa esmagadora faz seus castelos de sonhos...
Por outro lado, já vi sonhos caindo tal qual castelos de cartas, quando casas e carros vão para leilão sem história, sem piedade, pois assim é o mundo. Não há o segundo lugar...
Paradoxalmente existem propriedades, frutos de lutas intensas, que depois de uns 30 anos estão com trincas e parecem querer tombar a qualquer instante...
As casas e os carros também enrugam, também tem artrite e também morrem..A vida que tem é a vida que damos para elas e quando deixamos de dar, as propriedades adoecem e morrem..
Mas, nós somos a primeira e melhor construção, o primeiro movimento que nem precisou de quatro rodas..As outras coisas que construímos são apenas produtos de nossa força vital..E se não temos essas construções, ainda temos a nós mesmos e não precisamos de escrituras de cartórios para dizermos que somos uma edificação capaz de suportar ventos, terremotos, guerras vãs, guerrilhas urbanas ou o olhar do outro..
Ouvindo as reclamações de meus filhos sobre o quarto a mais que não temos, eu disse: " - No momento não temos, mas podemos adaptar, quem gostaria de dormir na sala?". Houve silêncio..
Felizmente esse não é o maior dos problemas da humanidade, estamos vivos e ainda teremos mais um quarto..

domingo, 12 de julho de 2009

Vida gera vida

Agora não tenho tanto sono..
Antes eu acordava com sono, não via a hora de dormir de novo e quando dormia ficava muito brava ao ter que acordar de novo..
Atualmente, eu durmo mais cedo e acordo as 5:00 h ou as 6:00 h, não durmo a tarde e posso fazer várias atividades até o final da noite.
Acredito que os hormônios me renovaram, embora não possam saciar minhas questões existenciais..
Tenho uma vida dentro de mim e tecnicamente acredito que ela me deu vida..
Todos nós chegamos aqui conectados por um cordão que vem do meio de nós, estamos todos conectados, mesmo que não exista noção exata disso, mesmo que seja tão difícil notar o próximo...

Só existimos porque houveram parceiros, cúmplices e uniões. Sem contato a vida não seria possível, porque ela se faz a partir da união física e se desenvolve a partir do diálogo com quem já está no mundo a mais tempo..Somos simbiose e conexão.


domingo, 5 de julho de 2009

1984: Gabrielli Andersen continuou ..




Se houver chances hábeis, eu irei dizer ao meu filho caçula que sempre, quando tenho um problema que parece maior do que eu, relembro essa cena, que particularmente penso ser a melhor imagem do século XX, inclusive maior do que as de tragédias (que sempre ocorrem)..
Essa imagem é de 1984 e mostra a suiça Grabrielli de 39 anos, chegar ao final de uma prova, praticamente carregando seu próprio corpo..
Os médicos da prova pediam que parasse, mas ela continuou, seu "Eu" dizia "continue"...Tombou de um lado, tombou do outro, não conseguiu levar as mãos ao boné, entretanto, chegou ao final sem cair.
Mostrou ao mundo que ela não era estatística, era ela mesma. No dia seguinte, embora bem fisicamente, ela não estava feliz porque não tinha vencido a prova. Entrevistada, disse que ainda poderia ter feito melhor...
Alguém sempre nos diz que não somos tão fortes, que não superaremos nossos desafios, que é sempre melhor partir para outro e nós sempre aceitamos essas premissas como orações..
Sempre nos imaginamos anões frente às nossas dificuldades..Incrível como desistimos fácil na hora em que a luta se define..
Alguém um dia nos ensinou que medo é bom, mas, ele é também irmão mais velho do fracasso e da preguiça.
A suiça chegou ao final da prova vencendo cansaço, dores e cãibras e se não fizesse isso provavelmente o tédio a mataria. Ela sabia o segredo universal que é bem simples de entendimento: Sempre podemos fazer melhor..Ninguém, nem a ciência, sabe mais do que nós, do que nós mesmos..
A história nunca homenageou desistentes, porém sempre re-aproveita e transforma quem continua..
Quem quiser pode conferir a super atleta em: http://www.youtube.com/watch?v=Zs4lbNPiat0

sábado, 4 de julho de 2009

Toma que a mãe é tua..


Ontem me perguntaram sobre o que fazer quando os filhos nos abandonam? E isso foge aos limites de uma pergunta, é mais um paradigma.
A situação é assim: Geramos o filho, cuidamos dele durante as frias madrugadas, deixamos com ele nossa força física e a estética de nosso corpo. Deixamos com esses bebês partes significantes de nossa juventude.
É certo que existem mães que facilmente trocam a cria por um amante novo e que tem pais que jamais chegarão perto de seu filho, por mais que esse implore. Mas, esses pais não são a maioria, para a sorte do DNA humano.
Geralmente, os pais cuidam de sua prole. E cuidam sem querer entender que estes um dia crescem e que dai chegou a hora deles partirem.
Os asilos estão repletos de pessoas idosas que tiveram 3 ou 4 filhos. Um verdadeiro levante não recebe visita alguma.
Muitos filhos partem e não se lembram a última vez que beijaram seus pais. Alguns, um dia, tardiamente ficam com remórcios, outros jamais irão se dar conta que não perderam "qualquer um", mas, seus progenitores...
Então, o que pensar?
A princípio, que não somos muito diferentes de outros animais, que quando a cria firma as pernas e já se alimenta sozinha, ela parte atrás de sua própria vida. Para elas, não importa muito como chegaram no mundo..Mesmo que a espécie humana seja dotada mais do que de razão, mas de lembrança, é natural que alguns só selecionem o que lhes convier..
Por outro lado, fica na mágica consciência dos filhos saber reconhecer o valor de seus pais. Nada mais podemos fazer, uma vez que tudo que podia ser, foi feito . Mesmo sabendo da independência futura dos pequenos, é preciso cumprir a missão, caso contrário, nos sentimos incompetentes demais e se a solidão for nosso legado, então oremos para que nosso Criador primeiro nos aceite de volta em sua Casa. A memória Dele é bem melhor do que a nossa.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

O ultrassom


Fiz um ultrassom ontem.
Ele tem 3 cm e se movimenta. Tudo que é vivo se movimenta e a extensão não é necessariamente importante . Tudo que vive é revolucionário, assim é fácil entender os estudantes de Paris em 1968 (aliás, ano em que nasci). Somente nosso pensamento, as vezes, é contra-revolucionário, estável e insiste em dizer: "- Eu não estou aqui".
Ele só tem 3 cm, mas como fala..

domingo, 28 de junho de 2009

A fila!


Como sempre fui comprar comida pronta no restaurante do supermercado. Não gosto de comprar esse tipo de alimentação, mas, não tenho paciência de estar com fome e ao mesmo tempo ter que preparar algo. Aliás, "paciência" para mim, sempre foi um transtorno. Embora, as vezes, sou preguiçosa, nunca tive a calma necessária para o ato de esperar.
Cheguei ao supermercado e para minha surpresa, uma fila com quase 30 pessoas. Pelo jeito tem mais pessoas que pensam como eu. O problema é que já pego filas durante a semana nos bancos, na padaria e no trânsito. Pegar fila no domingo também?
Odeio filas!
Todos nós nas filas, ficamos com a mesma cara e por absurdo que pareça tem gente que parece gostar da fila pois quando olho para algumas pessoas elas estão com caras de felizes. Isso me dá mais raiva ainda. Como alguém pode ser tão submisso? Eu fico com cara de brava e irritada. Sei que tem muita gente no mundo (eu até já contribui para isso e ainda contribuo). Não dá para todos serem atendidos na mesma hora, mas, não gosto.
Na fila, a gente nem dobra o joelho para mudar o passo. Parece que os pés só se arrastam. Eu poderia ter me aproveitado da minha nova situação de gestante e passar na frente de todos. Porém, ainda não é o caso, posso muito bem ficar em pé e ainda aguardar meia hora por um atendimento.
Nós, na fila, nos parecemos com a cena daquele filme do Pink Floid, "The wall", ficamos todos com a mesma aparência, andando reto com os mesmos passos e nos parecemos uma massa ao final.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

O mundo triste..


Está sendo difícil no período da tarde, com chuvinha, friozinho me manter em alerta. Eu durmo escandalosamente, sem vontade de acordar. Queria ter a liberdade de acordar apenas na hora que eu quisesse, mas, não posso e estas foram as regras que um dia meus antepassados aceitaram bem no início da civilização.
Todos tem que estudar, trabalhar e somente nas sobras de tempo, enfim descansar.
No entanto, eu bem sei que reclamo de pouco pois tem muita gente no mundo que tem muito mais para reclamar.
Choquei-me ao saber que ainda se cometem os mesmos horrores da 2a Guerra mundial. Parece que mesmo com tantas perdas, alguns nada aprenderam sobre civilização.
O grande Buda dizia: "Não posso ser feliz se meu irmão é infeliz". Nós só evoluiremos quando aprendermos que sociedade é um bem para todos e que "amarmos uns aos outros" não é balela, é necessidade. Quando o pensamento social triunfar sobre o poder mecânico, acredito que teremos relativa facilidade em nos amarmos. Até lá ficaremos sempre chocados em perceber a não-evolução espiritual de muitos.
As torturas, os massacres, os genoícidios, o preconceito que são avós do ódio e irmãos da soberba um dia devem acabar. Tenho certeza que um dia as pessoas de bom senso também terão voz e poder.
Imagine se um meteoro colidisse com a terra, com certeza não haveria tempo de saber quem é "amigo". Os territórios, antes belos, seriam todos apenas escombros e talvez não haja mais lugar desejado para se morar. No entanto, ainda teríamos uma chance de reconstrução, a união de nossa espécie. Essa coisa de etnia, poder ou lei do mais forte, não teria mais sentido e seriam bem vindas todas as mãos, todas as inteligências que pudessem ser usadas.
Essa foto postada consta na internet, mostra um soldado israelense apontando uma arma para uma criança palestina em 2008. Triste visão para um mundo que tenta se desenvolver..
Por todo mundo a violência não acaba, embora a maioria das pessoas se classifiquem como bondosas.
Tenho o medo de uma pessoa comum que meu filho que está por vir tenha algum tipo de imperfeição física (acho que todos nós temos ao menos um pouco de "complexo de Sparta"). Mas, o que é a imperfeição física comparada à imperfeição espiritual? Aquele tipo de deficiência que nos impede de ver o todo e nos torna cegos, capazes de apenas ver a nossa própria imagem distorcida, de ouvir a verdade e de sentir compaixão ou solidariedade.

sábado, 20 de junho de 2009

Ele estava quietinho ..


Faz tempo que não escrevo aqui e o motivo é sucessão de alguns acontecimentos um tanto quanto raros...
Estava tudo quietinho aqui, seguia uma rotina massante até que percebo que meu ciclo menstrual estava um pouquinho atrasado.. Então, pensei na tiróide que causa amnorréia e até em menopausa, afinal já completei 40 e tem gente que diz que está na hora. Porém, resolvo fazer um teste de gravidez de farmácia e eis que vem a surpresa: Positivo (depois também fiz o exame de sangue). Ao descobrir, entrei em choque, parafusos, desespero e somente agora me acalmo paulatinamente..
No início, o susto foi alto, afinal já tenho 2 filhos na adolescência, praticamente andando por si e como seria o recomeçar? Aquele choro frenético de 2 em 2 horas?E como seria, trabalhar? De início, pensei em interromper a gestação. Não concordo em nada com a prática, mas, também não concordo com os pseudos moralistas que discriminam a prática, pois eles só asseguram a vida ao embrião, mas não pensam nas tantas meninas sendo comercializadas nas ruas como escravas sexuais, nas outras crianças que vendem limão nos semáforos, naquelas que dormem embaixo dos pontilhões, naquelas que usam drogas químicas com tão pouca idade. Se eu fosse uma dessas crianças, acreditaria que a interrupção da gestação é um ato humanitário, uma vez que a miséria humana só aos poucos é regulada..Um embrião ainda não sintetiza as letras, não pensa na própria sorte...
Bem, mas tive essa idéia na primeira semana, com o tempo, é como se eu pudesse entrar em comunicação com um ser de 10 milímetros. Agora peço aos céus que ele seja para sempre amado..
A natureza apostou em mim para concebê-lo, acho que essa nova energia veio para me re-fazer ...Incrível as forças naturais, são bem mais fortes que nosso querer e a nossa vã filosofia.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Expulsos do Éden, aqui estamos...

Faz algum tempo que não escrevo e não é por falta de vontade. Todavia, aqui estou..
Eu tive uma discussão hoje que não pretendia ter. Quando somos ameaçados de alguma forma, geralmente nossa língua é nosso reflexo mais rápido e ela corta mais do que lança de samurai..
Hoje senti falta de um tempo que se foi. Um tempo que existia, que passou..
Por muitas vezes lamentamos o vinho que não tomamos e continuamos a não tomar outros vinhos...
Só descobrimos que frequentávamos o Éden quando descobrimos que fomos expulsos... Por isso a vida se torna um mar de aceitações da dor e do lamento..
A maioria dos pais ensina o filho a se desviar e poucos são os que ensinam a adestrar tubarões..
Agora pouco adianta dizer "- eu queria que fosse assim", verbo no passado não tem mais ação..

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Hoje pensei no pós-vida...

Enfim, fez um relativo frio no dia hoje. Era um vento gelado e por ironia hoje minha pressão subiu muito e quase me tornei "gelada", ou seja, quase passei para um possível outro lado.
A morte existe a todo momento, mas sua pronúncia nos soa como palavrão. Para alguns é uma maldição, pior que a peste negra que varreu a Europa. A morte é sempre um drama mesmo que seja necessária, afinal a terra ficaria superpopulada e talvez tivéssemos que morar sob os oceanos. Em vários casos, se evita falar que alguém morreu para dizer "- Ele se foi".
Existem pessoas que acreditam que ela seja "descanso" e é à julgar pelo número de pessoas que pedem a Eutanásia no mundo, porque estão sofrendo, talvez seja mesmo. Mas, é ingenuidade acreditar que ela seja um sono. No sono há sonhos involuntários e estes precisam de um cérebro. Talvez a morte seja o "nada" e se é o nada, nada temos à temer pois pararemos de sentir e por conseguinte, de ser.
Todavia, é difícil imaginar a última vez que o ar sairá de nossos pulmões e se estaremos ou não conscientes disso. Quando o ar entrou pela primeira vez foi relativamente fácil, só tínhamos que chorar para comprovar que estávamos ali e não tínhamos escolha alguma a não ser receber ternas saudações dos demais viventes..E depois disso, em algum momento que não sabemos também, tudo irá acontecer de novo, só que de maneira inversa.
Não me preocupava com a minha morte natural pois antes a coisa acontecia com os avós, depois com os tios, mas, agora já chegou nos primos.
Eu penso sobre minha morte de forma narcisistica ou idealisticamente. Não gostaria nenhum pouco que, após meu último sopro, algum jornal publicasse a nota: "A extinta deixa filhos" (não me confunda com dinossauros). Nem tão pouco gostaria que usassem os termos: " defunta", "finada", prefiro que digam: "- Aquela que já passou".
E o problema maior seria traduzido em: E as crianças? E os cachorros? E as dívidas?. Em resumo, de livre vontade, ainda não posso morrer em paz, isso seria egoísta. Preciso cuidar de uma prole numerosa.

sábado, 30 de maio de 2009

Maio, o mês do calor.

É mês de Maio ainda e não vi frio algum como sempre notei até o ano passado. Acredito que a maioria das pessoas gostem disso, afinal frio também é sinal de afastamento e de cláusulo.
Frio é sempre sinal de portas e janelas fechadas.

Eu me sinto muito mal no verão pois odeio transpirar. Deve ser por isso que as vezes me sinto "gelada" demais nas relações. Embora eu seja faladeira nata, nunca me envolvo o bastante e não sei por que.
Infelizmente, acredito que talvez seja por narcisismo exacerbado. O estranho é que até a adolescência sempre me senti muito só e pagaria qualquer mico por uma boa interatividade.
Manter amigos e entes queridos bem cuidados é uma habilidade difícil. Tem algumas pessoas amadas (não irei dizer quem é ou são, pois ela (s) pode(m) não gostar de ter referências no diário, que quando estão perto, a relação me dá tédio, sensação de sufocamento e dai me desligo até o ponto em que elas também reconhecem a relação também como um tédio e se afastam. E quando isso ocorre, fico triste, porque estranhamente (talvez egoisticamente) as queria por perto.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

O nobre e o Serafim

Nessa verdadeira aventura de aprender outros idiomas ou outras falas, estou conhecendo partes significantes do mundo. É fascinante entender a história contada pelo seu próprio agente.
Infelizmente, também descobri o quanto somos pobres por aqui. Não me refiro à pobreza de não ter uma nova tecnologia, mas na pobreza do olhar. Uma pobreza que é maior e vem de dentro de nós. Só a conhecemos quando descobrimos mais coisas coisas sobre o mundo.
A pobreza de fato, reside em ter o recurso e não saber utilizá-lo. Com outros países é o oposto. Eles não têm o recurso, mas, sabem como adquiri-lo. Alguns são nobres por essência, sabem usar o famoso bom senso. Geralmente, os verdadeiros pobres são os arrogantes que acreditam que fazem a situação.
O miserável é aquele que chora por si mesmo.
É fácil detectar o sintoma da pobreza, ele se revela quando se acredita que do jeito que está, não está bom.
No entanto, parece que, para se ser nobre é preciso de tempo para que hajam quedas, fibra para se levantar e cultura para não se cair de novo. Nobreza não é título dado, é adquirido com gana por quem escolhe mudar o que não está bom.
O pobre é aquele que quase nunca dá nada à ninguém e quando dá, escolhe criteriosamente para quem dar. O pobre não trocaria o emprego certo de $800,00 por um sonho antigo e seus sonhos são sempre abortados. Assim, se torna frustrado e crítico demais. Isso o diferencia radicalmente do nobre, já que esse constrói castelos sob dunas ou gelo..
Os exemplos de nobres vão desde Samuel Klein até o imperador Hirohito do Japão que, com o final da 2a Guerra Mundial, ofereceu todos os tesouros antigos de seu palácio, sua própria prisão, em troca de pão para o povo japonês...
Sinceramente, agora entendo porque dizem que os nobres são protegidos por Serafins.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Vou chegar na Rússia



Continuando no Site onde estou re-aprendendo Inglês, também reiniciei Alemão e iniciei Russo. Esse último é assustador visto que nunca tive contato com aquele alfabeto. No entanto, nada como desafiar um cérebro de 40 anos, meio que cansado de futilidades e erros cometidos pelo "não-saber" pelo qual o corpo físico certamente pagou e paga.
O cérebro é um orgão tempestuoso que pede para ser desafiado tal qual um nobre templário. Caso contrário, ele, além de retroceder, pode se paralisar e ai tanto faz estar vivo ou alguém lhe contar que existe vida pós-morte.
E é preciso desafios à sua altura pois não sabemos até onde ele anda. Na verdade, é uma máquina que pouco conhecemos e sempre negligenciamos.
Bem, o alfabeto russo veio na hora certa. Ele é totalmente diferente do ocidental. Admiro os russos que falam inglês e conhecem todo nosso abecedário. Infelizmente, no Brasil mal falamos o português corretamente e há pouco incentivo para um segundo idioma, o que é muito necessário. Por que será?
Não conseguindo ler nada de russo nas quinze primeiras tentativas, fui para a origem de seu alfabeto e descobri coisas interessantes. Esse alfabeto também é chamado de cirílico porque foi criado por São Cirilo na Idade Média quando foi cristianizar os povos eslavos. Ele se baseou no alfabeto grego para o feito. Não descobri porque ele não ensinou Latim.
O São Cirilo citado provavelmente foi aquele que mandou executar cruelmente a filósofa Hipácia de Alexandria, um dos últimos nomes da Biblioteca de Alexandria. Infelizmente inteligência nem sempre anda paralela ao bom-senso ou à fraternidade. Geralmente ela serve para legitimar forças mais fortes.
Todavia, compreendemos por inteligência nossas capacidades para concentrar e articular o conhecimento e talvez seu conceito real não seja exatamente esse.
Agora, voltando ao russo, ainda não sei escrever seus símbolos e muito menos seu significado. Mas, não irei desistir dele. Algo me diz que ele é fascinante.
Vou deixar uma foto do meu quintal maravilhoso que tem bananeiras ao lado do pé de maracujá. Nunca morei numa casa que tivesse essa fruta. Estou adorando ver sua formação e posso oferecer bananas à várias pessoas. São bananas docinhas.