2009: Ficamos entre os 100 do Top Blog

sábado, 8 de agosto de 2009

Vitor, o frei

Hoje fui a um mosteiro pela primeira vez. Estava visitando um ex amigo mundano, o Vitor.
Ele era um dos amigos mais gatos que tive, do tipo "mauricinho": sempre bem arrumado, lindo e educadérrimo..Até que aos vinte anos deixou a família, as roupas de grife e o carro esporte. Só não abandonou a cultura e a boa educação. Ah! essas duas características ,depois de estabelecidas, nem se quiser, alguém pode largar. Podem até lhe roubar as roupas e deixá-lo nú em praça pública, mas não podem lhe roubar nem cultura nem educação.
Existem homens que são extremamente educados com damas para a conquista, porém logo depois do êxito, as tratam pior do que velhos camelos. No entanto, existem outros que tratam educadamente, da mesma forma, todas as mulheres, freiras ou prostitutas. E sempre irão tratar todas bem. E estes são os verdadeiramente cavalheiros..
Vitor abandonou a todos nós, sem muitas explicações e entrou para um Mosteiro Franciscano. Lá não tinha visitas, as vezes nem podia falar. Fez voto de humildade, de pobreza e passou vários dias em jejum.
Nós acreditávamos que ele não iria aguentar seis meses e logo voltaria para a vida anterior. Mas, estávamos enganados. Ele não só está lá há quinze anos como parece ser o mais feliz da turma.
Hoje ele me disse que na época se sentiu tocado e chamado por uma força desconhecida, entretanto, maravilhosa. Essa força gratuita o modificou.
Ele disse que não tem desejos sexuais, nem desejo de beber ou fumar..
Ele está contemplado e disse que do mundão nada mais deseja, pois tudo conquistou..
Será que ele alcançou o Nirvana?
Ele também me disse que somos nós que fazemos nossas prisões e quanto mais necessitamos do mundo, mais nos tornamos cativos..
Não obstante, acredito que a coisa seja mais extensa. Eu acredito que é Deus quem chama seus escolhidos, conforme o que lê em seus corações, senão todos nós estaríamos lá..
Segundo Vitor, se aproximar de Deus é melhor do que orgasmo e quando nos aproximamos percebemos quão grandes somos..
No mundão somos sempre menores viciados e contentes com pouco.
Aprendemos a viver com esse pouco e essa idéia é a origem de nossa miséria. Quem se aproxima de Deus descobre que tem poderes também e vai para outro planeta bem melhor do que aqui. É o fenômeno da transcendência, saímos da matéria que nos reprime para a contemplação divina..
A felicidade de Vitor me deu inveja. Já imaginou alguém não precisar trabalhar no Senado Federal, não fazer viagens à Paris, não precisar de um Honda Civic, não ter fumado um baseado, não ter casado, não ter tido filhos nem conquistas amorosas e ainda se declarar feliz?? Vitor superou as grades.

Um comentário:

Gelmirez disse...

OLÁ!!!
BONITO TEXTO. VITOR ENCONTROU NOVOS SONHOS PARA SEUS CAMINHOS, POR ISSO ESTÁ TÃO FELIZ...
GOSTEI DE TEU BLOG.
DEUS TE ILUMINE.
GELMIREZ