2009: Ficamos entre os 100 do Top Blog

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Mona, seja feliz!

Hoje lembrei de algo que poderia ser considerado hilário, caso os comportamentos humanos não estivessem mesmo mudando.
Meu primeiro namorado, em minha terra natal, foi quando eu estava com 14 anos. Naquela época não era muito comum os namoros e se aconteciam alguém logo dizia "Tem que casar". Essa idéia sempre me amedrontava dada a imposição.
O namoro assim era conhecido como "namoro de portão". Evidente que jamais contei à alguém que eu já tive um "namoro de portão".
Conheci Roberto porque ele passava sempre na minha rua e um dia parou e conversou comigo. Encantei-me, na verdade não com ele, mas com a idéia de namoro. Porém, logo após o "namoro" ter se iniciado, notei algo estranho no ar, havia muita conversa. Depois, os amigos comentaram: "- Ele é gay". Não me choquei, mesmo sendo a primeira vez que eu "namorava" pois sempre pensei que as pessoas devem ser livres para escolher, mas nunca entendi por que ele quis me namorar. Acredito que ele deveria estar mascarando o irremediável.
Ele tinha 16 anos e não era muito bonito, com o tempo também o achei chato e depois que descobri isso não tinha mais o que fazer.
Hoje ele é conhecido como Mona e se transformou fisicamente. Ela tem longos cabelos ruivos, usa brincos de argolas e seios perfeitos.
Estranho que os homens que me decepcionaram não eram gays, se diziam homens no sentido total, porém, sexualidade afirmada nunca foi sinônimo de felicidade para o sexo oposto.
Todos nós somos moralistas, preconceituosos e juízes do outro.
Também cometo o erro de julgar e é uma falha que preciso alterar imediatamente em mim.
Por enquanto, me sinto feliz porque Mona pode optar por outro corpo e deve ter superado as vaias. Eu até penso que ela levou menos fora do que eu, aliás, será que ela se lembra de mim? Será que ficou mais bonita do que eu?

Um comentário:

bethsantana disse...

Que texto bacana heim ??
Já tive um namorado que anos depois descobri ser gay. Ele era o bonitão da rua, jogador de volei, militar. Muitos anos depois eu o encontrei em Copacabana e eles estava totalmente enlouquecido.

kkkkkkkkkk

Mas estava bem feliz!! Também torço por ele e que sua opção esteja lhe realizando.

bjs